Skip to content

A Solução

24 de junho de 2011

Bom a solução que encontrei foi fazer um projeto. Como o vigia traseiro é menor eu optei por fazer um carro onde todo o exterior vai ser o de um 66 original e o interior terá vários traços de modernidade. Por fora ainda estou na dúvida se coloco só cereja ou cereja bicolor com marfim. O interior terá um console no meio abaixo do painel onde terá entrada USB, GPS com câmera de ré e TV, uma tomada e as saídas do ar condicionado. Melhorias de iluminação do interior em geral, no Bagagito e na mala. Entre outras coisas que mudarão no decorrer da reforma. As fotos da “obra”.

Anúncios

A Decepção

16 de junho de 2011

Em Dezembro de 2008 quando resolvi finalmente comprar um Fusca e comprei esse Fusca, comecei a pesquisar sobre o carro. Aí fui descobrindo vários desastres que o carro que eu acabava de comprar tinha. Eu então passei 5 meses pesquisando tudo sobre o carro até descobrir um fato que me deixou bem desnorteado. O carro tinha chassi 69 e carroceria anterior ou igual a um 66, devido o vigia traseiro menor. Aí fiquei intrigado com o fato de não possuir isqueiro, e foram aparecendo vários itens no qual eu nunca havia me ligado e através do Forum do Fusca alguns foristas me ajudaram a identificar que a carroceria do meu carro era de um Fusca Pé-de-Boi. Bom muito legal, tá, mas que Fusca é esse? Bom Ele é esse aí de baixo:

Aí foi ler essa reportagem pra ficar bem interessado em reviver esse carro, porém fiquei decepcionado ao cotar tudo sobre a reforma, o custo era bem alto. Algumas atrocidades foram feitas no carro e me impediram de recuperá-lo como um Pé-de-Boi,vejam:

A frente com parachoque e paralamas dos Fuscas mais novos.

A traseira com sinaleiras, tampa e parachoques mais novos.

Lateral detonada, com retrovisor novo, e aquele adesivo dos Fuscas mais novos.

Diferença de cores da tampa pro parachoque.

A Roda 4 furos e o pneu inadequado.

Comutador abaixo da barra de direção.

Painel completamente desfigurado, repare a falta do cinzeiro, o volante trocado e o painel mais novo.

Lataria furada da mala pra baixo do painel pra colocar uma caixa de som.

O vigia lateral traseiro sem a tramela pra abrir a janela.

Quebra vento detonado

Outra do comutador

21 de agosto de 2010

Assim como todo garoto que era afixionado por carros no início da década de 90 eu tinha verdadeiro desprezo pela história ou até mesmo pelo que representava o fusca. Santana, Gol GTI e GTS, e Monza eram carros que todos os meus amigos achavam irados e eu também. Já no final da década de 90 meu pensamento era outro, meus 18 anos estavam chegando e eu não parava de pensar em ter um carro. Foi aí que percebi no final da minha rua uma casa onde sempre tinha um carro caidinho pra vender um fusca vermelho, quando vi aquele carro achei nele uma oportunidade de ter logo o meu primeiro carro. E achei que poderia ser um fusca até porque nesse meio tempo o fusca tinha sido relançado e voltou a se falar muito dele. Esse foi o início de uma admiração pelo carro.
Nesse mesmo ano um outro vizinho comprou o carro, pelo valor de R$1.500,00. Eu perdia novamente o interesse pelo carro, não trabalhava, namorada nova, nem lembrava sequer em tirar a carteira de motorista. O tempo foi passando esse vizinho sempre falava do carro, o elogiava, até que um dia ele vendeu o carro para um outro vizinho, por R$1.500,00. Esse vizinho usou o carro por mais alguns anos até que resolveu vender. Nessa época eu já trabalhava e já procurava um fusca pra comprar. Não sei o porque, mas eu nem pensei duas vezes fui lá e comprei o carro. E advinha por quanto? R$1.500,00.
Agora cá estou contando a quem quiser ter um carro desse o quanto de dedicação e paciência deve se ter. Esse é o intuito do meu blog. Fiquem a vontade.